preloder

BORRACHA – JIU-JITSU

Carlos Junior Lopes Costa, o Borracha, é irmão e talvez o maior fã de Borrachinha. Mestre de jiu-jítsu, Carlos contou que enxergou o potencial do irmão desde muito cedo. “Borrachinha tem um futuro enorme. E acredito que ele será o futuro próximo campeão do peso médio do UFC. Enxergo esse potencial. Desde novo, ele sempre teve aptidão para a luta. Consciência corporal anormal. Sempre vi um potencial muito grande nisso. Apoiei quando ele decidiu migrar para o MMA. Evoluiu muito rápido. Muito ágil, rápido, diferente de outros atletas. Inteligente, improvisa muito. Pensa rápido. Como irmão, ele é o meu maior ídolo. É ótimo poder ser treinador, estar junto dele e ajudar em tudo mesmo”, discorre em tom emocionado.

RUBENS DOREA – BOXE

Dorea conta que a mão de Borrachinha veio com muito treinamento. Ele chegou muito bom de jiu-jítsu, mas acabou se apaixonando pelo boxe. Tanto que hoje, segundo Dorea, parece um lutador profissional de boxe. “Quando muita gente não acreditava em Borrachinha, fui o único que sempre acreditei e estive ao lado dele. Sempre disse que ele ia chegar aonde ele está hoje. E vai chegar muito mais. Só depende dele; o esforço, a cabeça que ele tem para continuar a manter esse treinamento forte para chegar a ser campeão do mundo. Essa categoria dele é muito boa. É um moleque novo, tem uma mão muito pesada. Quando ele estava treinando em BH, ninguém o conhecia. Quando ele começou a lutar MMA, ninguém acreditava nele, porque ele lutava nesses eventos que não eram muito falados. Mas agora, que Paulo entrou no UFC, todo mundo o conhece e todo mundo está com o Borrachinha. Eu estava do lado dele sempre. Sabia que o dia ia chegar. Quem estava com ele desde o início, sabia muito bem. Eu estive com ele em todos os momentos”, comenta.

PEDRO NOVAES – MUAY THAI

O professor de muay thai Pedro Novaes já morou na Tailândia (onde foi bi-campeão mudial) e explica que mestre, no muay thai, está ligado à sabedoria. Ele, que tem nove anos de luta, começou a competir com 15 anos, foi campeão brasileiro mundial, carioca e mineiro. A relação com Borrachinha começou por intermédio do boxeador Dorea, que já treinava Paulo e queria aperfeiçoar os chutes e os socos do rapaz. “A minha academia virou um ponto em que o Dorea puxava os treinos com Borrachinha. Aí ele viu que o muay thai ajudou no jogo do rapaz, e começamos a fazer um trabalho juntos. Uma luta boa para ele. Ele é um cara duro e valorizado. É um cara que obedece bem. Inteligente. Ele tem evoluído bem. É faixa preta de jiu-jítsu, luta taekwondo. Um superatleta, disciplinado. Acredito que ele é um cara que vai lutar pelo cinturão em breve”, acredita.

Paulo Henrique “Borrachinha” © 2017 Todos os direitos reservados.